Estrada para a Glória

Estrada para a Glória
Ficha Técnica
Título no Brasil: Estrada para a Glória
Título Original: Glory Road
Origem: EUA
Ano de Lançamento: 2006
Produção: Jerry Bruckheimer
Estúdio: Buena Vista Pictures
Distribuição: Walt Disney Pictures
Direção: James Gartner
Roteiro: Chris Cleveland e Betina Gilois
Edição: John Wright
Cor: Colorido
Duração: 118 minutos
Elenco: Josh Lucas, Derek Luke, John Voight, Austin Nichols, Evan Jones, Schin A. S. Kerr, Alphonso McAuley, Emily Deschanel, Mehcad Brooks, Al Sharer, Sam Jones III, Damaine Radcliff, Paul Shirley e outros.

SINOPSE - por Território LNB

Estrada para a Glória é um filmaço!Pra quem curte e quem não curte basquete. Também não poderia ser diferente, baseado na histórica campanha da Texas Western, aUniversity of Texas at El Paso (UTEP), na Liga Universitária da temporada65/66, Glory Road só poderia ser um grande filme mesmo!

Don Haskins, interpretado pelo ator Josh Lucas, assume o time de basquete da Texas Western, os Mineiros, uma equipe fraca, sem orçamento para novos recrutamentos e sem tradição na modalidade. Em uma universidade onde o carro chefe do programa esportivo era o futebol americano, o treinador se vê obrigado a sair do convencional. E em meados da década de 60, período marcado pela política de segregação, Haskins parte para o recrutamento de jovens promessas fora do eixo do basquete universitário. Talentos das periferiasdas grandes cidades estadounidenses, jogadores negrosque até então tinham pouco ou quase nenhum espaço no mundo da NCAA.

O treinador sofre resistência à sua política de recrutamento até mesmo dentro da UTEP e sua família chega a ser ameaçada. O próprio time era uma panela de pressão, clima tenso entre os jogadores brancos da região e os negros recém chegados. A disciplina imposta por Don Haskins faz com que o grupo se torne verdadeiramente um time, e com a mescla do basquete fundamental do treinador e a irreverência das ruas trazida pelos jogadores negros a equipe começa a escalar degraus no ranking da NCAA.

À medida que vencem, maiores são as manifestações contrárias àquela efusão de cores e jogadores, tão mal vista na época. Depois do espancamento do atleta Nevil Shed em um banheiro de bar e da pichação de mensagens racistas com sangue de animal em um quarto de hotel, os jogadores chegam a pensar em desistir. Convencidos por Harris eles seguem jogando e chegam à final da NCAA contra a poderosa University of Kentucky, na época a equipe mais vencedora do basquete universitário do Estados Unidos com 4 títulos (48, 49, 51 e 58).

Os Wild Cats eram liderados em quadra pelo grande Pat Riley e dirigidos fora dela pelo lendário Adolph Rupp, terceiro técnico com maior número da vitórias na NCAA (876), atrás apenas de Dean Smith (879)e Bob The General Knight que registra 902 vitórias.

Depois de uma temporada desgastante dentro e fora de quadra, Don Haskins toma uma atitude drástica antes da final. Comunica a seus atletas que na decisão entrará com 5 titulares negros e que também negros eram os homens do banco que participariam da rotação, deixando assim todos os jogadores brancos de fora da finalíssima. Os atletas brancos compreendem a idéia de Haskins e mesmo chateados aceitam a decisão do técnico, dando todo suporte a seus companheiros do lado de fora.

E foi assim, só com jogadores negros em pleno 1966 é que Don Haskins colocou  a Texas Western no mapa do basquete universitário do Estados Unidos e seu nome na história da bola ao cesto e da sociedade estadounidense.

Glory Road é finalizado com depoimentos daqueles que viveram essa história e com imagens reais da decisão da NCAA em 1966, registro histórico valiosíssimo e imperdível!

Curiosidades

O consultor de basquete para o filme foi Tim Floyd, ex técnico do Chicago Bulls e atualmente assistente do New Orleans Hornets.

Ben Afleck foi o primeiro escolhido e convidado para interpretar Don Haskins, mas devido a outros compromissos não aceitou o papel.

No fim de semana de estréia, Glory Road faturou 17 milhões de dólares só no EUA. Em um mês nos cinemas, a arrecadação de bilheteria superou os 43 milhões de dólares.

As instalações da UTEP serviram de locação para boa parte das filmagens.

A Booker T. Washington High School também foi utilizada como locação. Ela é a primeira escola construída para negros em Nova Orleans e uma das primeiras do Estados Unidos.

O filme recebeu 4 indicações a prêmios, faturando um, o ESPY Awards na categoria Melhor Filme de Esporte, em 2006.

Foi oferecido um papel no filme para o armador Kirk Hinrich, capitão do Chicago Bulls, mas ele recusou em função da agenda cheia.